sexta-feira, 27 de maio de 2011

''Os meus poetas''/Padre

Padre
«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«
«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»
Eres como la mar,bueno de frente
Peligroso em dia grís,duro y valiente
LLevas en la cabeza,brisas ligeras
Tenporal que aun contiene,tu conpañera
Eres como el cantar,de un canpesino
Que al cantar va lavrando,nuestro camiño
Eres como un dolor,mal repartido
Que se volvio cancion,y non quejido
Eres como la voz,que espende el aire
Eres como un poema de Miguel Hernandez
Y presumes de ser,puro paisano
Y de haver sido y de ser,republicano
Compañero del sol,fiel compañero
Nunca te preocupo en nada,ser el primero
Eres como un sudor,callado y quieto
Y nunca abriste el carron,de tu próprio respeto
Non quisiste jamas ,salvar-te solo
Porque non hay salvacion decias,se non es con todos
Non sabes de venganzas ni de desquites
Gorrion que canto siempre,aun si alpiste
Eres como la sangre,eres el aire
La mar ,la barca,el remo y el navegante
Timone de mi alma,mas que nadie
Y aun,eres muchas cosas mas
Que me callo y me callan
"PADRE"
(Patxi Andion)
»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«»«
     

Penso

################################################################
Vou por aí tentando encontrar o que de mim resta,parto e levo-me no pensamento será que algum dia voltarei aos lugares de mim?Todos os lugares são de mim,de ontem até hoje,espero e na espera tropeço,caio,levanto-me,até que as forças me traem e acabo quedando-me por aqui,sinto o meu desassossego e como desassossegada me assumo,o meu corpo está fixo,mas o meu pensamento vai,vai...será que algum dia ficará lá para sempre?
Ora essa pensamento!...que fazes tu?Volta aqui então!...Ele não me obedece,segue sempre na mesma direcção?Isto pressupõe Norte ou Sul?Como descobrir,se não o comando?E do meu pensamento só sei o que ele me permite saber;Que sentir tão estranho!Será assim com toda a gente?Ou será só em mim e absolutamente em mim a forma deste pensar?
«16/03/2011»(EU)
8.30
################################################################
################################################################

Paixão

*******************************************************************************************************

Entre um dia e outro dia.a noite faz a sua aparição,surge bela e misteriosa envolta no seu manto sem mostrar o rosto,mas estendendo os braços e lançando chamas sobre os amantes,os verdadeiros amantes da vida que se amam na noite escura e na distancia.Uma paixão que dói e não necessita de toque,paixão que clama pelo seu  momento de explosão,paixão que se deixa esmagar"por amor".
Eu quero-te,ah se quero!
As palavras que debita no teclado dizem do tanto que se esforça por voltar ao seu lugar a esse lugar onde pertence,mas não consegue por muito tempo segurar as palavras apaixonadas que"lhe"diz e,escreve sem para elas voltar a olhar a fim de amenizar a dor que lhe provoca e a satisfação que sente de provocar paixão por quem não lhe pertence,paixão que é dor,dor que a ela lhe esfacela a alma,satisfação porque o seu ego é uma realidade e gosta dessa paixão que lhe provoca,que a desmancha e a agita nessa paz falsa que a cerca e que o cerca.Continuar a lutar por lhe querer e não o ter,por lhe querer e não a ter,por"SE"quererem e não"SE"deverem  querer.:mas,porque é que afinal"SE" querem?
Não sei,não sei!É só ele e ela em certos momentos desses seus longos dias,a ponte entre os olhos dele e dela está construída(ergueram-na juntos,e ambos sabem quando)mas sabem não poder atravessá-la,não podem nem devem fazê-lo,saber se o conseguirão só o tempo o dirá.Um beijo que não é dado mas que é sentido igualmente,atravessa o universo e...vai.É uma viagem sem fim onde seguem juntos e separados por um imenso"MAR"emocionalmente apaixonado!!!
14/05/2011(EU)
*******************************************************************************************************

****************************************************************************************************

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Esperar

Ás vezes encontro coisas de mim e em mim que desconheço se nasceram de mim ou comigo ou se me foram trazidas por alguém.
Encontrei,e não sei onde fui buscar!...
(Esperar é um dom:
Um dom que custa a perceber,que depois de acontecer,toma-nos como um dado adquirido cola-se à nossa pele e acerta a esperança connosco...
Apreende-se que tudo tem o seu tempo para acontecer,até chegar lá vive-se em constante ansiedade e sabe-se(ou suspeita-se)que a qualquer momento podemos morrer sufocados pelo desejo que aconteça.
Os acontecimentos na vida de cada um tomam os contornos que se adaptam aos próprios desejos e modo de viver de quem sente.!...)
É assim esperar!...(para mim).
24/05/2011(EU)

terça-feira, 24 de maio de 2011

Voar nas asas de um anjo azul

Sou uma ave que sobe nos céus,e que se julga uma gaivota,uma gaivota azul que assim ficou de tanto se misturar com o infinito,esse azulado que me contagia e me leva arrastada pelo vento,quando subo vejo tudo girar em meu redor,tudo me segreda ao ouvido o quanto é inebriante a paisagem,e eu só subo,subo,subo,voo e sem voar como poderia absorver a paisagem que me circunda?
As outras aves perguntam-me se não serei algo,enfim...voadora demais?
Serei sim...quero voar até ao amanhecer e amanhecer de hora em hora até que chegue a luz do dia e,ao olhar-me ao espelho continuar a voar como qualquer gaivota errante...de sonho em sonho até que o sol venha recordar-me que amanheceu e de gaivota errante errando vou voar por aí...seguirei no caminho sem fim.
«25-05-2011»(EU).
.

Imensidão

É esta imensidão,este a perder de vista que me leva e me trás do sitio para onde vou...
É por este ser imenso e a perder de vista que os meus olhos nunca chegam a lugar nenhum  ficam sempre pelo vazio do longe e do que não se alcança ficando assim no inimaginável e difícil de alcançar ser do ser que sou e que não me chego ao fim...
É este ser grande e distante que me afoga quando me sinto sufocar e esbracejo sem que o mundo se aperceba do meu sufoco,do meu esbracejar...
É por estas distâncias que ainda hoje sonho que tenho que ir um dia buscar e rebuscar o que de mim há nesta imensidão em que o já ali é no fim do mundo...
Por tamanha imensidão,por tamanha dor que as separações nos dão,por tamanha dor que sentimos na impotência de fazer a roda da vida girar no sentido que gostaríamos que ela girasse...
É o ser grande e imenso que me faz ir...sim é!
Perdendo-me de vista percorrendo o caminho de ida e buscando algo que me diga__(é teu)__devo então fazer o caminho de volta pois nada encontrei,nada encontrei,nada, na imensidão do caminho a perder de vista já não é o meu lugar,as papoilas nos campos já não nascem só para mim,as macelas deixam cair as folhas antes que lhes faça a pergunta(bem me quer,ou mal me quer?)esfacelam as suas pétalas antes que lhes chegue a tocar,o Sol vai e vem aquecendo-me do calor natural da sua luz e a imensidão nunca me sai do ser que sou...
Um caminho tão grande mas tão grande que seria necessário ter umas quantas vidas paralelas a esta para conseguir chegar-lhe e fazê-lo ser do meu próprio ser e senti-lo sentindo sempre o que sinto...
Inenarrável imensidão esta que trago e levo no ser que sou e que ainda não conheço...
Quem me ajuda a vê-lo e a tratá-lo nos seus desiquilíbrios?
Onde encontro a alma que me levará até à imensa distância?
A imensidão que me percorre e que desejo percorrer para me conseguir.
««15-05-2011»»(EU)
Um caminho sempre a direito mas cheio de altos e baixos...

Através da minha alma

Através de mim
Através de mim o que vês?
Vês muito de certeza,pois sou transparente como o cristal,ainda não aprendi a ser opaco,ainda não sei como parecer e não ser,ainda não sei como fazer para me esconder,ainda não sei como aceitar tudo o que vem parar a mim,ainda não sei como fazer para me limitar ao espaço que me está reservado,ainda não sei como voar,ainda não sei para onde voar e,se voar onde aterrar ou simplesmente sobrevoar...ainda não sei,ainda não sei...
O não saber é tão difícil de sentir,e será que estou a sentir algo;ou estarei apenas dormente e insensível?
Para quem busca nas profundezas da alma,pode deparar-se com tantos"não sei".
Eu não sei...eu não sei.
Pois!!!
(EU)

''Os meus poetas''/Amanhã...

Primeiro poema do meu blogue!
Encontrei este texto na rede,não pretendo apropriar-me dele,
mas ele apropriou-se de mim...
**********************************************************************************
**********************************************************************************
Amanhã
Quando eu for vento
E tu gaivota errante
Quando eu beijar as tuas asas
Numa caricia livre
Descomprometida
E possuir o teu corpo
Num gemido enlouquecido
Quando eu desafiar a tempestade
Com rosas rubras a florir
E te pedir que fiques
Para sempre ao meu lado
Quando não houver mais desculpas
Para a verdade do amor
Quando a poesia estiver liberta
Da angustia e da imensa dor
Amanhã
Quando eu for vento
E tu gaivota errante
Veremos com verdade
A luz da eterna saudade
Veremos...veremos...
Quem mente
Quem foge
Quem espera
Quem chora
Quem sofre
Quem ignora
Veremos...veremos...
Quem ama com verdade!

««Sitio da Luz»»Vóny Ferreira»»