sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Um pouco de (EU)...''texto sem correcção''

Quando na vida me dei conta de que necessitava desenvolver-me como pessoa a nível espiritual e humano percebi que teria de fazer esse caminho sozinha pois não tinha a meu lado quem estivesse nesse nível de aprendizagem preparado para o fazer,como tal tenho feito a minha caminhada solitária abrindo brechas para que entrassem aqui e ali pessoas que''parece'' estavam nesse nível humano mais além desgosto-me porém ao perceber que o que buscam é apenas uma boleia nas costas da minha aprendizagem,não lhe dou as costas pelo contrário dou-lhe a mão e carrego-os ou puxo-os para o meu lado tentando a todo o custo fazê-los lá chegar junto comigo mesmo deixando-me com um cansaço extremo,normalmente não me lamento,peço é mais força para ir,e...na minha caminhada umas vezes sobre nuvens de algodão outras sobre escarpas ou espinhos tenho tido o privilégio de plantar árvores,umas possuem uma boa semente dão naturalmente bons exemplares com óptimos frutos,enquanto outras nunca passam de uma promessa já que a sua semente nunca foi de excelente nem sequer de aceitável  qualidade daí que elas nascem com fragilidades  e algumas até crescem mas os seus frutos  nunca serão agradáveis à vista nem saborosos ao paladar usa-se então a técnica de enxertia mas não passam nunca de bonitas árvores ,nada mais que isso.Assim é com muita gente que ao longo do tempo se tem cruzado no meu caminho ,bonitas e atraentes à vista mas que deixam muito a desejar no seu interior.
Contudo não me lamento todas têm trazido sabedoria para a minha vida  excluo o que não me serve e o que não sou capaz de contornar.
Mas...esta é uma palavra  que está sempre pairando por aqui,há''mas''em todas as vertentes da vida e um bem grande é que não sou nenhuma santa de pau e nem sequer do pau''oco'' e aborrece-me enormemente que a realidade da vida seja deturpada por pessoas até muito inteligentes ''mas''que vivem  em busca sabe-se lá de que quimera  e em dias que estão viradas do avesso encarem os seus próprios disparates como fragilidades de quem lhe está próximo e puxa por elas deixando a sua própria vida em suspense.
Ainda não cheguei ao meu máximo na busca tenho que continuar sempre de olhos fixos no meu objectivo usando a minha óptima  visão periférica  e mesmo que por vezes sinta as forças faltarem-me levo comigo com delicadeza e humildade as almas puras e boas que comigo se cruzam,depende delas compreenderem-me ou não ,pois não são obrigado(a)s  a fazê-lo.
__A todas as pessoas que no meu caminho se têm cruzado ao longo da vida e com quem tenho aprendido os  caminhos do bem só poderei continuar a cuidar com todo o carinho, a quem não teme dizer-me que sente a minha falta,quem me chama de seu anjo protector,quem não teme dizer-me que sou importante nos seus dias a quem me diz que mesmo na distância me sente próxima,a quem sonha sonhos que não sendo os meus são muito semelhantes em tudo ,o que me ajuda a tornar os meus sonhos mais válidos .
Neste Ano Novo que se aproxima não quero para mim uma vida nova desejo é manter a que tenho e cuidar de quem já tenho não fechando nunca a porta a quem vier por bem e com boa vontade.
(EU)
15-12-2011
17.35h

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Busco razões para a razão...a de existir e outras!!!♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥

Há sensibilidade nas redes sociais,embora seja difícil de encontrar;
___Presto homenagem ao amigo  que por sinal  conheci pessoalmente e só depois ficamos ''amigos'' nas redes sociais!!!
Não sou adepta de ter muitos amigos nem na vida real nem na virtual,prefiro tê-los bons e sensíveis e se em cem amigos um captar a minha essência já valeu a pena andar por aqui...
Segue-se um diálogo entre amigos...


♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥
Eu__Estou a pensar nesta minha mania de desenterrar o ''passado'' com o intuito de curar o ''futuro''!!!
♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥
O amigo__Sim A..... como eu a entendo e como eu vejo no futuro cada vez mais as pedras do passado.
Vivi parte da minha adolescência, no monte e no Castelo em _______ e cada vez que ali retorno, faço-o sozinho e percorro as ruas, as muralhas e falo com as pedras. E caminhando pelas ruas ou pelos sítios/lugares onde sonhei...sonhei! Vejo e sinto agora as pedras a chorarem de saudades...saudades do FUTURO?
♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥
Eu___Obrigada meu amigo ,pelo conforto das suas palavras e pelo seu entendimento da ''minha pedra'' do passado!!!Para entendê-la melhor expliquei-lhe por mensagem privada!!!Obrigada mais uma vez e um abraço com desejos de bom fim de semana!!!
♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥
Eu ___AmigO_______,trouxe esta pedra do meu Monte,onde regressei e ao qual estive 45 anos sem regressar(foi muito tempo,foram várias vidas,foram muitas vidas demasiadas para o que se julga ser aceitável),regressei e...
Tive muita dor;
__Inexplicáveis dores só para quem não me queira entender,senti uma espécie de choque eléctrico uma descarga de muitos Wats,que 1ºme deixou algo apática depois de passada a 1ª emoção,senti verdadeiras dores físicas e da alma...
Não lhe escrevo isto lá no mural onde me deixou o seu amável comentário para não me expor tanto,que o facebook não merece!!
Entendo bem esse seu sentir e a sua busca na busca para bons''melhores'' futuros.
Daqui do mundo que é o presente,um presente que talvez não consigamos entender enquanto não tivermos decifrado de vez o passado,envio-lhe um abraço sentido e com sentido,desta sua amiga Alentejana ainda e sempre em crescimento
♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥
O amigo___Verdade minha amiga....Verdades que nós temos que guardar para nós e no mais fundo da nossa alma. ... Verdades que O Fac...por vezes ou se calhar sempre . ... não merece os nossos estados de alma e nem as nossa emoções. ... MAS, por outro lado eu sinto e tenho necessidade de dizer o que sinto e escrever,escrevo... mas por vezes exponho-me demais e já tenho tido alguns desgostos que ferem...ferem e deixam marcas de dores que doem....
Eu tenho toda uma infância,adolescência,juventude e....depois como adulto vejo revejo que não fui eu que existi..........foi um outro que viveu e vive num mundo para o qual não me preparei,na infância,na adolescência,e na juventude. ............ Agora o que resta?..........Estou seriamente a pensar em regressar definitivamente ao Alentejo e aos caminhos e aos pensamentos daquele tempo quando eu julgava que o mundo era ...era o que sonhava.FIM
♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥
E foi assim que percebi que mais vale ter um amigo sensível do que muitos com um coração mais duro que a minha pedra!!!
Ou será que apenas andam distraídos???
Obrigada ao amigo pela sua presença sempre discreta e tranquila !!!


(EU)
13-12-2011
08.40h 

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Ou não...


Caminhando sobre Rosas brancas às quais já retirei os espinhos sinto o perfume que me chega de ti confundindo-se com o ambiente que me rodeia,os meus olhos afogam-se nos teus  lanças-me a bóia de salvação que me chega em forma de abraço, apertas-me fortemente entre soluços e sorrisos ...
Vagueio por estreitas ruelas buscando o teu retrato e tentando recordar o teu nome que quero esquecer mas que necessito pronunciar vezes sem conta até que me esgote sem forças e desista cansada de lutar contra tudo o que me sufoca e este amor inexplicável é a prioridade que se me afigura enquanto percorro estradas feitas de nada do viver que ainda desejo para o dois.
Entre a tua e a minha vida encontro vontades alheias à nossa própria que me  trás ao pensamento a  presença que a tua ausência teima em fazer notar.
A necessidade de escrever tornou-se quase uma obsessão,caiem palavras de mim e atiro-as contra o vento que as leva rolando pelo chão,vejo-as escapar em novelos que se desenrolam debaixo dos meus pés e me fazem rir sem parar quando era a minha vontade desatar a chorar...
Estou aqui com o meu corpo,mas não poderei oferecer-te a minha alma,ela nem a mim pertence,entreguei-a numa bandeja com palavras doces e letras ternas a quem a resgatou na escuridão em que estava mergulhada são palavras efémeras eu sei,desgastam-se nas letras soltas do alfabeto que aprendi há muito tempo atrás e só agora lhe sei o significado,esse que procuro em jogos de sinónimos que jamais desejo ver antónimos, princípios que me fazem esconder dos sentidos que me perseguem enquanto soletro...
Com ''A''amo-te,com''B''beijo-te,com o 'D'dou-me,procuro ainda o''Q''de quero-te com o''T''tens-me;
__Ou não!
E vamos os dois um de cada lado da ponte que nos separa caminhando de mãos estendidas sobre a nossa estrada feita de nada
Sílabas que não consigo contabilizar surgem-me de toda a parte incompreensíveis ,por linhas e linhas sem fim,paralelas mas não convergentes,saberei algum dia o motivo pelo qual há dias em que tenho necessidade de me vitimizar não sendo vitima de coisa nenhuma.
Julgo ver os nossos olhares entrelaçados contorcionistas do destino em busca da rede de salvação!!!
(EU)
08-12-2011
11.11h

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Repetições e outras...


El amor es la mejor música en el pentagrama de la vida.La única melodía del corazón que nos lleva a sonreír con ternura a su recuerdo y olvidar las dificultades que lleguen recibiéndolas con fuerza de titán para resolverlas sin problemas.El amor es la base del respeto,de la convivencia y el sustento de nuestro espíritu,nuestro equlibrio nervioso y nuestra existencia.
(Pilar de Molina)Madrid



Às vezes apetece-me
Dizer...dizer...dizer...
Mas sei que não o posso
Fazer...fazer..fazer...
Já sei tudo o que
Diria...diria...diria...
E sei que ninguém
Ouvia...ouvia...ouvia...
Eu não te consigo
Deixar...deixar...deixar...
Só sei que te quero
Amar...amar...amar...
O meu coração diz
Sim...sim...sim...
Mas sei que não és
Para mim...para mim...para mim...
Eu ando à deriva
Por ti...por ti...por ti...
Quando partir saberei que
Senti...senti...senti...
(EU)

04-12-2011
01.30h

''PARA QUE NÃO DIGAM QUE NÃO FALEI DE POESIA'' Recordo o dia em que no mítico Teatro Tivoli se ouviram inesperadamente as pa...